Páginas

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Fluxo 4º ano, III unidade.


Fluxo de Aula / Língua Portuguesa  
4º Ano / III Unidade

 
Gêneros textuais sugeridos: Narrativas breves (mito, lenda, conto, fábula), anúncios publicitários, propagandas, poemas, documentários, debates, verbetes, gráficos, resumos, textos científicos, reportagens, noticiários, relatos de experiência.

EIXO: PRODUÇÃO E COMPREENSÃO DE TEXTOS ORAIS
CONTEÚDOS
HABILIDADES
SUGESTÕES DE ATIVIDADES
  • Gêneros: verbetes, propagandas, documentários, poemas, debates, relato de experiência.






  • Descrição de ambientes e pessoas.



  • Estratégias de argumentação da fala.






-Procurar em dicionário palavra de sentido desconhecido e ler em voz alta o verbete (M);
-Explicar que sentido do verbete interessa para o contexto em que a palavra de sentido desconhecido foi empregada (M);
-Apresentar pequenos documentários (OTM);
- Recitar poemas e dramatização (OTM);

-Descrever com clareza ambientes e pessoas (DC);
-Perceber e respeitar as variações linguísticas (DC);

-Adequar a fala à situação de comunicação (DC);
-Narrar experiências vividas ou histórias conhecidas com clareza e coerência (DC);
-Manter a continuidade temática na participação de debates (OTM);
-Argumentar sobre um fato de forma adequada e coerente (DC);
-Saber ouvir e respeitar os pontos de vista diferentes (DC);
-Compreender os pontos de vistas dos interlocutores (OTM);
-Utilizar expressões verbais que indicam atitudes de polidez e respeito à opinião dos outros (OTM).


-Utilizar o momento de trabalho com o gênero verbetes para estimular os estudantes a consultarem o dicionário e/ou enciclopédia durante a aula. Essa atividade de consulta também poderá ser realizada sempre que os estudantes expressarem dúvida diante de palavras desconhecidas. Peça para que leia em voz alta e escolha o sentido que mais se adéqua ao contexto;
-Levar para a turma alguns documentários de TV e rádio, procure adequá-los a temática trabalhada. Após ter trabalhado o gênero, organize em pequenos grupos e estimule-os a apresentar um documentário para a própria turma e/ou escola;
-Propor para o grupo a leitura em voz alta de poesias. Promova recitais, sarais e dramatizações. Estimule-os a extrair do texto os sentimentos e emoções dos personagens, a fim de aprimorar sua expressão através da oralidade. Aproveite a oportunidade para estimulá-los a descrever o ambiente e os personagens que serão representados. Outro aspecto a ser observado é a linguagem utilizada pelo autor e/ou poeta, ressalte para a turma que a linguagem do texto original deverá ser respeitada levando em consideração o contexto em que o texto foi escrito;
-Pesquisar uma poesia da qual se identifiquem. Peça para socializarem com a turma o material encontrado e a experiência vivida durante a realização da pesquisa;
-Nesta unidade optamos por desenvolver o gênero debate sem o rigor que é característico do debate regrado. Porém, há necessidade de algumas considerações, são elas: partir de um tema polêmico, a importância da oposição de pontos de vista sobre um determinado assunto, o respeito ao outro debatedor e a seu ponto de vista, entre outros. Ressalte para os estudantes que um debate serve para conhecer os diferentes pontos de vista sobre determinado assunto para todos os participantes (para quem debate e também para quem assiste).

EIXO: LEITURA E COMPREENSÃO DE TEXTOS
CONTEÚDOS
HABILIDADES
SUGESTÕES DE ATIVIDADES
  • Gênero: verbetes, resumos.
  • Modalidades de leitura.





















  • Estudo dos suportes e das características dos gêneros textuais.




  • Estratégia de leitura.






  • Aspectos da textualidade.
























-Ler em voz alta com fluência (DC);
-Ler e compreender textos não verbais (DC);
-Compreender textos lidos por outras pessoas (DC);
-Compreender a organização alfabética de um dicionário e se valer dela como estratégia de busca de palavra desconhecida (M);
-Distinguir as diferentes notações (adjetivo, substantivo, etc.) e rubricas (Fil., Med., Lit.) apresentadas em um verbete de dicionário (M);
-Distinguir o sentido denotativo e o figurado de uma palavra em verbete de dicionário (M);
-Consultar com autonomia o dicionário, localizando palavra desconhecida e identificado o sentido mais adequado para o contexto em que a palavra desconhecida foi empregada (M);
-Resumir texto (DC);

-Conhecer e reconhecer características referentes aos diferentes suportes textuais (DC);
-Conhecer e reconhecer características referentes aos diferentes gêneros discursivos (DC);

-Antecipar sentidos do texto (DC);
-Antecipar conteúdos da leitura, considerando os gêneros/tipos apresentados (OTM);
-Localizar informações explícita em textos instrucionais e narrativos (OTM e DC);

-Realizar inferência (DC);
-Inferir informações implícitas (OTM);
-Identificar o tema central de texto informativo (OTM);
-Identificar ideia central do texto (DC);
-Identificar efeito de sentido decorrente da repetição de termos de um texto (OTM);
-Compreender os efeitos de sentido decorrente do emprego de linguagem coloquial em texto narrativo (OTM);
-Identificar sentidos ou informações com base em imagens (fotos, ilustrações, gráficos, mapas e outros recursos visuais) (DC);
-Interpretar informações contidas em gráficos e mapas (OTM);
-Estabelecer relações entre partes de um texto identificando repetições, substituições que contribuam para a sua coesão/coerência (DC);
-Estabelecer relações lógico-discursivas entre partes do texto (DC);
-Estabelecer relação título/texto (DC);
-Estabelecer relação de elementos coesivos (OTM).
Etapas para o trabalho com verbetes
-Selecionar dois verbetes enciclopédicos para serem utilizados como referência. Transcreva o primeiro no cartaz. Apresente-o aos estudantes e, depois, leia-o com eles, estudando seus sentidos;
-Para explorar o texto peça que indiquem o tipo de informação apresentada em cada parágrafo. Ao escolher o animal girafa, por exemplo, é possível destacar os seguintes aspectos:  nome científico do animal, onde vive, estratégias de sobrevivência, alimentação, tamanho e peso, procriação. Caso haja oportunidade, discuta com o grupo as palavras de sentido denotativo ou figurado. Estimule os estudantes a consultarem o dicionário para resolver dúvidas quanto ao significado das palavras; 
-Apresentar e discutir com a turma a finalidade dos verbetes enciclopédicos. Leve para a sala de aula vários verbetes. Utilize texto e imagens de animais, países, objetos, entre outros temas. Aproveite a oportunidade para explorar o suporte enciclopédia; 
-Dividir a turma em pequenos grupos. Peça que tematize a organização do texto, retomando a finalidade dos verbetes e relacionando os critérios encontrados;
-Realizar o mesmo procedimento com verbetes de dicionários. Escolha dois para trabalhar com a turma. Explore algumas de suas características, tais como: as diferentes notações (adj., subst., etc.); rubricas (Fil., Med., Lit., etc.). Aproveite a oportunidade para explorar o suporte dicionário;
-Entregar aos grupos vários recortes de verbetes de dicionários. Discuta com a turma a finalidade dos verbetes de dicionários. Peça que organizem em ordem alfabética;
Em seguida, confronte os verbetes enciclopédicos e de dicionários pedindo aos estudantes que registrem as semelhanças e diferenças existentes entre eles. É importante ressaltar as diferentes possibilidades de organização de um verbete, desde que respeitada a coerência de critérios.
EIXO: PRODUÇÃO DE TEXTOS ESCRITOS
CONTEÚDOS
HABILIDADES
SUGESTÕES DE ATIVIDADES
  • Gêneros: listas, verbetes, textos científicos, reportagens, noticiários, narrativas breves.























  • Aspectos gramaticais.











  • Aspectos da textualidade.






  • Revisão e reescrita textual.

-Refletir sobre as condições de produção (finalidade, destinatário, gênero) (DC e OTM);
-Produzir textos de diferentes gêneros (DC);
-Compreender as características das tipologias/gêneros textuais (DC);
-Ditar textos de diferentes gêneros discursivos (DC);
-A partir de consulta ao dicionário, organizar lista de palavras derivadas de um mesmo radical (M);
-Elaborar lista de palavras que causem dúvida quanto à ortografia e consultar o dicionário para dirimir a dúvida (M);
-Elaborar verbete de dicionário com palavra recentemente aprendida, indicando os diferentes sentidos e, se for o caso, as rubricas a que a palavra pode pertencer (M);
-Produzir coletiva ou individual de pequenos textos científicos, pequenas reportagens e/ou pequenos noticiários atentando para as suas respectivas características (OTM);

-Estabelecer a correlação entre o sentido e a intenção do texto e os sinais de pontuação (DC e OTM);
-Usar os mecanismos gramaticais (concordância nominal/verbal, ortografia, acentuação, pontuação) partindo dos gêneros produzidos (DC);
-Rever rascunho de narrativa breve, com apoio do dicionário, a fim de empregar sinônimos e eliminar dúvidas ortográficas (M);

-Atribuir um título adequado ao texto ou às seções e subtópicos dos mesmos (DC);
-Produzir textos com coesão/coerência, usando os recursos da língua (conectores, progressão temática e encadeamento das ideias) (DC);

-Revisar os textos produzidos, a fim de adequá-los ao contexto de produção (DC);
-Reescrever textos (OTM);

-Após o trabalho com o gênero verbetes enciclopédico e/ou de dicionários no eixo de leitura, elabore coletivamente uma lista de palavras com o mesmo radical. Você poderá escolher palavras que causem dúvida quanto à ortografia levando-os a consultar o dicionário. Busque palavras recentemente trabalhadas;
-Selecionar algumas palavras da lista, dessa vez peça para que os estudantes pesquisem no dicionário e/ou enciclopédia e registre no caderno toda informação encontrada;
-Depois, peça para que cada estudante escolha um verbete e tematize-o em parágrafos;
-Solicitar que reescreva o mesmo texto, agora com outra organização de parágrafos. Peça que a garotada analise novamente o tipo de informação que cada parágrafo contém;
-Debater com a turma a organização do texto, retomando a finalidade de um verbete enciclopédico e/ou de dicionário e relacione os critérios encontrados a essa finalidade;
-Apresentar agora, um novo verbete enciclopédico e/ou de dicionário, sem paragrafação alguma e solicite a eles que o leiam e estudem, em duplas. Antes de apresentar, contextualize o verbete que será lido;
-Solicitar aos estudantes que indiquem no texto, com barras coloridas, onde separariam os parágrafos; 
-Transcrever o verbete sem paragrafação no papel pardo e analise os critérios e a coerência;
-Questionar os estudantes sobre a coerência entre os critérios e a finalidade de cada verbete apresentado. Levante as possíveis diferenças entre os modos da paragrafação;
-Concluir a atividade convidando as duplas a se apresentarem na plenária;
-Antes da apresentação do produto final não se esqueça de reservar um tempo para a realização da revisão textual e da reescrita, se houver necessidade. É necessário que os estudantes percebam que esse é o movimento natural do escritor: escrever, revisar e reescrever;

EIXO: ANÁLISE LINGUÍSTICA E REFLEXÃO SOBRE A LÍNGUA E SEUS USOS
CONTEÚDOS
HABILIDADES
SUGESTÕES DE ATIVIDADES
  • Formação de palavras.
  • Fonologia: letra.






  • Sílabas átonas e tônicas.
  • Acentuação gráfica.




  • Segmentação de palavras.


  • Aspectos gramaticais: pronomes, substantivos, adjetivos, verbos, concordância verbal e nominal.






  • Normas ortográficas regulares morfológico gramaticais presentes nas flexões verbais.
























  • Normas ortográficas regulares morfológico gramaticais presentes em substantivos e adjetivos.













  • Pontuação.





  • Ortografia: P, B, T, D, F e V.
  • Dígrafos.
  • Ortografia:
Uso do H inicial;
Uso do R ou RR;
Uso do G ou GU;
Uso do C ou QU;
Uso do J formando sílabas com A, O e U;
Uso do S no início das palavras formando sílabas com A, O ou U;
Uso de O ou U no final de palavras que terminem “com o som de U”;
Uso de E e I no final de palavra que terminem com o som de “I”;
  • uso de M, N e NH, ou para grafar todas as formas de nasalização da nossa língua;
  • -Irregularidades ortográficas;
  • -Emprego de “g” e “j” em palavras;
  • -Regularidades ortográficas;
  • -Emprego de palavras com e, i, ei; ss, ç, c, s; nh, lh, ch; s com som de z;

-Formar palavras a partir dos textos estudados (regularidades diretas e contextuais) (OTM);
-Formar palavras (irregularidades ortográficas) (OTM);
-Usar adequadamente letras maiúsculas e minúsculas (DC);

-Classificar palavras quanto à tonicidade: sílabas átonas e tônicas (oxítona, paroxítona e proparoxítona) (OTM e DC);
-Distinguir sílabas átonas e tônicas (DC);
-Acentuar palavras (OTM);

-Escrever controlando a segmentação de palavras em frases (DC);

-Estudar e empregar pronomes e verbos (OTM);
-Compreender a funcionalidade dos verbos empregando gradativamente a noção de tempo e modos verbais, de acordo com a necessidade de produção escrita (DC);
-Estabelecer relação de concordância verbal e nominal (DC);

-Utilizar as normas ortográficas regulares morfológico gramaticais presentes nas flexões verbais: uso do U na terceira pessoa do singular do passado (perfeito do indicativo) como, cantou; uso do ÃO na terceira pessoa do plural do futuro do presente, por exemplo, cantarão; uso do M no final de todos os tempos verbais, exceto no plural do futuro do presente; uso do SS em todas as flexões do imperfeito do subjuntivo, como cantasse; uso do R nos verbos do infinitivo (DC);
-Compreender a funcionalidade das classes gramaticais de acordo com a necessidade da produção escrita (DC);
-Compreender a função do substantivo próprio e comum, concreto e abstrato, primitivo e derivado partindo do processo de produção escrita (DC);
-Compreender a relação substantivo x adjetivo partindo do processo da produção escrita (DC);
-Perceber a funcionalidade dos adjetivos nos textos e utilizar os pronomes pessoais enquanto elementos de coesão textual (DC);

-Utilizar as normas ortográficas regulares morfológico gramaticais presentes em substantivos e adjetivos (uso do ESA nos adjetivos que indicam lugar de origem, por exemplo, "portuguesa"; substantivos derivados de adjetivos terminados com o segmento sonoro /eza/ se escreve com EZA; uso do ÊS nos adjetivos que indicam lugar de origem, por exemplo, chinês; uso do L no final de coletivos como, canavial; uso do S em adjetivos terminados em OSO; uso do C em substantivos terminados com sufixos ICE; uso do C ou Ç no final dos substantivos derivados que terminam com sufixos ÊNCIA, ANÇA, ÂNCIA;) (DC);

-Usar adequadamente os sinais de pontuação considerando sua funcionalidade, de acordo com as necessidades da produção escrita e da leitura (DC);

-Utilizar as normas ortográficas regulares diretas a partir das grafias P, B, T, D, F, V (DC);
-Empregar corretamente os dígrafos NH, LH, CH, RR, SS (DC);
-Empregar o H inicial (DC);
-Utilizar as normas ortográficas regulares contextuais (uso: R ou RR; G ou GU; C ou QU; J formando sílabas com A, O, e U; S no início das palavras formando sílabas com A, O ou U; O ou U no final das palavras que terminam com o som de U; E e I no final de palavras que terminem com o som de I; M, N, NH ou ~ para grafar todas as formas de nasalização da nossa língua) (DC);
-Compreender algumas irregularidades ortográficas (escrita: som do, "G" como em "girafa e "jiló"; som do "Z" como em "zebu", "casa" e "exame"; som do "X" como em "enxada" e "enchente"; "L" ou "LH" como em "Júlio" e "julho" (DC);
-Inferir regras de regularidades ortográficas (OTM);
-Empregar palavras com e, i, ei; ss, ç, c, s; nh, lh, ch; s com som de z (OTM).
-A consulta ao dicionário é uma excelente estratégia para que os estudantes resolvam dúvidas de palavras pouco conhecidas. Deixe o dicionário ao alcance das crianças para que essa ação ocorra naturalmente;


-Selecionar várias palavras, priorizar aquelas que já foram estudadas anteriormente. Conduza o processo de separação das sílabas. Explore os sons das sílabas, oriente-os na distinção entre as sílabas átonas e tônicas. Escreva na lousa uma tabela, depois classifique junto com a turma as palavras em oxítona, paroxítona ou proparoxítona;
Você pode optar por escolher uma das categorias (oxítonas, paroxítonas, proparoxítonas) para explorar as regularidades existentes entre as palavras da categoria. Chame a atenção do grupo para essas regularidades fazendo o registro na lousa. A partir daí, você abordará as regras de acentuação em cada categoria;

-Registrar na lousa trechos dos textos trabalhados e organizar em frases. Abaixo de cada frase desenhe quadrados de acordo com o número de palavras. Oriente os estudantes a escreverem em cada espaço uma palavra;
-Organizar os estudantes em pequenos grupos e distribuir jornais antigos. Peça que leiam os títulos e subtítulos das notícias, marcando os verbos encontrados com as canetas coloridas;
-Explorar a utilidade dos verbos: eles são responsáveis pela organização das informações em um texto. Explique que nem todos são iguais: alguns indicam ação, algo que acontece, aconteceu ou acontecerá, ou ainda alguma ação mental. Há também verbos que indicam estado (como as pessoas e os objetos são) e mudanças de estado. Os verbos têm a função de descrever situações e ideias ou mudanças nas situações e nas ideias;
-Retomar os jornais e questionar a moçada: qual é o nome do jornal que cada grupo tem em mãos? Qual é o tema da notícia que estão analisando? Quem dá a notícia? Em que seção do jornal está à notícia? Peça que observem se o texto narra um acontecimento, descreve uma situação ou expõe acontecimentos. Explique que os títulos carregam uma intencionalidade, tem a função de chamar a atenção do leitor para a leitura da notícia e, nesse propósito, os verbos desempenham uma função muito importante;
-Organizar no quadro uma tabela com os títulos das notícias selecionadas e anote o que os estudantes observaram (veja o modelo abaixo); 

Título da manchete
Caderno
Subtítulo




-Apresentar o texto original para que os estudantes o confrontem com as propostas registradas no quadro. Oriente as discussões;
-Apresentar para a garotada diferentes jornais do mesmo dia destinados a públicos distintos e selecionar um assunto que tenha sido abordado por todos os veículos. Desafie os estudantes a analisar os títulos e os subtítulos levando em conta as seguintes questões: "Quais verbos aparecem no título e em que tempo verbal aparecem?" e "É possível pelo uso desses verbos inferir sobre a intencionalidade do jornal 
que está veiculando a notícia?";
 
-Problematizar com os estudantes o sentido das escolhas dos verbos e do tempo verbal presentes nos títulos e subtítulos analisados e o que eles provocam nos leitores;
-Solicitar aos estudantes, em outro momento, que escolham livremente uma notícia para ler e realizar uma atividade com ela. Solicite então que marquem com cores diferentes os verbos que encontrarem nos tempos presente, passado e futuro do indicativo. Circule pela sala, tire dúvidas e anote os avanços e as dificuldades do grupo. Intervenha quando necessário, questionando se os termos marcados são realmente verbos, por exemplo. Se o trabalho for realizado com facilidade pela turma, amplie a análise, questionando em que tempo estão os verbos marcados: presente, passado ou futuro? Questione as respostas, observando o embasamento das justificativas.





 
Fluxo de Aula / Matemática   
4º Ano / III Unidade
 

EIXO: NÚMEROS E OPERAÇÕES
CONTEÚDOS
HABILIDADES
SUGESTÕES DE ATIVIDADES
·    Ampliação de atividades sobre operações com números naturais e racionais.

·    Resolução de problemas com números naturais utilizando estratégias pessoais.

·    Comparação e ordenação de números naturais e racionais.


·    Formulação e resolução de problemas envolvendo as diversas ideias fracionárias.




- Inferir sobre regras do SND (sistema de numeração decimal) (M);

- Reconhecer, relacionar e registrar número como símbolo, considerando posição, cardinalidade e ordinalidade (DC);

- Analisar, interpretar e criar situação problema envolvendo as quadro operações (DC);

- Reconhecer que diferentes situações problema podem ser resolvidas com uma única operação e que diferentes operações podem resolver um mesmo problema (DC);

- Resolver operações com números, por meio de estratégias pessoais e do uso de técnicas operatórias convencionais (DC);
- Utilizar estimativas na resolução de problemas (DC);
- Ler, escrever, compor e decompor números de acordo com as regras do sistema de numeração decimal (M);

- Resolver problemas que envolvem mais de uma operação com números naturais (M);
- Ler e escrever números racionais em sua representação decimal e fracionária (M);
- Representar com fração uma quantidade menor ou maior que a unidade (M);
- Resolver situação problema que envolva o cálculo da décima, centésima ou milésima parte de um número (M).


- Explorar situações que envolvam o SND. Pergunte aos estudantes se eles costumam ir ao cinema, teatros e show. Incentive esse tipo de atividade cultural. Pode-se propor uma excursão a um desses lugares. “Quais números indicam o horário de cada sessão desse cinema? Qual desses números é o maior? E o menor?
- Reforçar a leitura dos números ordinais que deve ser feita concordando com o gênero daquilo a que ele se refere. Por exemplo: 1ª colocação - primeira colocação; 36ª pessoa a chegar - trigésima sexta pessoa a chegar;
- Explorar as situações apresentadas na história em quadrinhos. Solicitar aos estudantes que respondam a algumas questões envolvendo cálculos de adição e subtração. Objetive a avaliação dos conhecimentos prévios dos estudantes em relação  ao conteúdo a ser estudado;
- Propor questões como: “A coleção de Patrícia tinha 32 papéis de carta. Ela comprou outros 10 papéis de carta. Com quantos papéis de carta ficou sua coleção?
- Propor aos estudantes que utilizem a calculadora para auxiliá-los a realizar os cálculos ou a verificar os resultados;
Questionar aos estudantes quais estratégias utilizaram e se os resultados obtidos estão corretos. É interessante que eles reflitam sobre essas questões.
- Antes de efetuar os cálculos, solicitar que os estudantes façam uma estimativa do resultado. É importante disponibilizar peças do Material Dourado para os estudantes utilizarem nas resoluções problema.
EX: Júnior tem 32 chaveiros em sua coleção. Zico tem 20 chaveiros. Quantos chaveiros Júnior tem a mais do que Zico?

EX: O pai de Roberto deixou sobre a mesa da cozinha uma pizza de mussarela cortada em 8 pedaços iguais. Depois de um tempo observou que alguém tinha comido alguns pedaços, conforme ilustra a figura abaixo.


Qual número racional indica a parte que foi comida da pizza?
OBS: Informe aos estudantes que esse tipo de gráfico também é chamado ‘gráfico de pizza’.

EX: Acompanhe as resoluções das multiplicações abaixo:
10 x 11 = 110
100 x 11 = 1.100
1000 x 11 = 11.000
Espera-se que os estudantes percebam, com esse exemplo, que quando multiplicamos um número natural por 10, 100, ou 1000, podemos apenas acrescentar um Zero, dois zeros ou três zeros, respectivamente, à direita desse número e obter o resultado da respectiva multiplicação.

EIXO: ÁLGEBRA E FUNÇÕES
CONTEÚDOS
HABILIDADES
SUGESTÕES DE ATIVIDADES
·      Determinação do elemento desconhecido em uma igualdade matemática.

·      Resolução de problemas.

·      Introdução da ideia de proporcionalidade por meio de situações cotidiano do estudante.

·      Resolução de problemas simples envolvendo a proporcionalidade inversa entre grandezas.
- Determinar o elemento desconhecido em uma igualdade matemática (OTM);

- Introduzir a ideia de proporcionalidade por meio de situações do cotidiano do estudante (OTM);

- Resolver situação problema simples envolvendo a proporcionalidade inversa entre grandezas (OTM).
- Na Matemática, existe um termo "misterioso", em geral identificado pela letra "x". Ele representa um valor desconhecido e está por trás de muitos cálculos, entre eles o das equações. A tarefa é descobrir o valor do X.
Uma equação nada mais é do que uma sentença matemática expressa por uma igualdade. As letras que aparecem - como x, y e z - são valores desconhecidos. A equação é a operação matemática que nos ajuda a determinar o valor dessas letras e tornar verdadeira essa relação de igualdade.
Ex.: A equação 3x + x - 4 = 2x + 6, descubra o valor de X?
3x + x - 4 = 2x + 6
3x + x - 2x = 6 + 4
4x - 2x = 10
2x = 10
x = 10/2
x = 5.
O conceito de proporcionalidade está presente no cotidiano de qualquer pessoa em diversas situações. A proporcionalidade é essencial para o aprendizado de muitos conteúdos, tanto nas diversas dimensões da matemática, como nas aplicações desse conceito à geografia, física, química, etc.
O objetivo dessa aula é, através de atividades, fazer com que o estudante perceba situações que envolvam, ou não, grandezas proporcionais. Para tanto, é necessário que o estudante compreenda o conceito de grandeza e saiba manipular medidas de uma grandeza.
- O Professor deverá propor atividades e deixar que os estudantes resolvam-nas com os conhecimentos adquiridos tanto na sua vida escolar, quanto em situações do dia a dia.
Solicite que os mesmos registrem o seu raciocínio e, em seguida, discuta com a turma as diversas formas de resolução encontradas.
De acordo com o preço cobrado por 1 chocolate, em uma bomboniere, verifiquei que com R$ 3,60 posso comprar 3 desses chocolates.
a) Qual o preço a ser pago na compra de 5 chocolates?
b) Quantos chocolates posso comprar com R$ 4,80?
1- O chocolate custa 3,60/3 = 1,20
a) O custo de 5 chocolates: 1,20 x 5 = 6,00                                
b) A quantidade de chocolates: 4,80/1,20 = 4

OBS: Proponha aos estudantes sugestões para o desenvolvimento desta atividade, de acordo com as etapas descritas abaixo:
1.    Proponha a confecção de uma tabela para ser completada:
Quantidade de chocolates
Preço
1

2

3
3,60
4

5

2. Incentive os estudantes à calcularem o quociente entre o preço pago e a quantidade de chocolates em cada linha da tabela.
3. Caso haja necessidade, proponha outros valores (quantidade de chocolates e/ou preço pago)
4. Conclua, com a participação dos estudantes, que nessa situação o quociente é constante e que as duas grandezas (quantidade de chocolates e preço) são proporcionais.
5. Questione, em seguida, sobre o que acontece com os preços quando dobramos, triplicamos etc. as quantidades de chocolates.
EIXO: GRANDEZAS E MEDIDAS
CONTEÚDOS
HABILIDADES
SUGESTÕES DE ATIVIDADES
·      Retomada e ampliação de situações que explorem as grandezas: massa, capacidade, área e temperatura.

·      Resolução de problemas extraídos do cotidiano destacando:
- Comparação de medidas;
- Estimativa de medidas;
- Aproximação de medidas;
- Composição e decomposição de polígonos;
- Composição de corpos redondos;
- Alguma experiência com polígonos regulares;
- As diagonais de um polígono.
- Identificar o que pode ser medido em litro ou mililitro (M);

- Reconhecer grandezas mensuráveis como comprimento, massa, capacidade (DC);

- Ler e utilizar instrumentos de medidas para resolver problemas (DC);

- Comparar as grandezas de mesma natureza, utilizando a unidade de medida necessária (DC);

- Reconhecer e utilizar as unidades usuais de medida como metro, centímetro milímetro, quilômetro, grama, miligrama, quilograma, litro, mililitro, etc. (DC);

- Reconhecer, compreender e construir           os conceitos de medidas e grandezas, utilizando situações problema que possibilitem                                  a sua aplicação e uso no contexto social (DC);
- Resolver situações problema que envolvam as ideias de medidas de comprimento, de massa ou de capacidade (M).
- Progressivamente, amplia-se o conhecimento das grandezas em estudo e introduz-se as unidades de medida convencionais do Sistema Internacional de Unidades, os estudantes devem realizar medições com essas unidades usando instrumentos de medidas adequadas, relacionando as várias unidades;
- Explicar aos estudantes que foi necessário utilizar outros instrumentos de medida para se obter medidas de comprimento expressas pelo metro;
- Providenciar, previamente, pelo menos um exemplar de cada um dos instrumentos de medida citados.
Leve-os para a sala de aula e deixe que os estudantes manuseiem e analisem esses instrumentos. Oriente-os a perceber qual instrumento de medida é mais apropriado para medir certo comprimento.
Explique que, geralmente utilizamos o centímetro e o milímetro para expressar pequenas medidas de comprimento. Algumas vezes, o milímetro nos permite expressar medidas mais precisas que o centímetro, ou seja, mais próximas da medida real.
EX: Estimar a altura da porta e a área do quadro da sala de aula ou o volume da caixa de jogos são tarefas que podem realizar utilizando ou não unidades de medida convencionais e que contribuem para a consolidação de conhecimentos acerca do que significa medir.

Fabiana comprou 250 g de queijo e pagou R$ 4,50.
Por 1 kg desse mesmo queijo quanto ela pagaria?


 
Fluxo de Aula / Geografia   
3º Ano / III Unidade

 
EIXO: LOCALIZAÇÃO E ESPAÇO
CONTEÚDOS
HABILIDADES
SUGESTÕES DE ATIVIDADES
·         A diferença entre cidade e o campo.




- Reconhecer as diferentes relações entre a cidade e o campo no âmbito econômico, social e ambiental (M).


- Trabalhar as diferenças entre a cidade e o campo. Propomos atividade que utilizem o mapa do município. O mapa pode ser obtido no site do IBGE (www.ibge.gov.br). Em grupo, peça para observar o que predomina no município na área urbana ou na área rural. Que tipo de atividade econômica predomina no município (no setor primário, no secundário ou no terciário). Qual das duas áreas tem maior população? Qual tem maior oferta de serviços e lazer.
EIXO: PAISAGENS URBANAS E RURAIS
CONTEÚDOS
HABILIDADES
SUGESTÕES DE ATIVIDADES
·         Os aspectos da paisagem.


·         A organização econômica do município e do Estado.







·         Setores econômicos.







·         O trabalho no campo e o trabalho na cidade


·         Meios de comunicação e transporte.

- Diferenciar aspectos da paisagem urbana e rural (M);

- Identificar as atividades extrativistas, agropecuárias, industriais, comerciais e de serviços como atividades humanas que produzem diferentes paisagens (M);
- Reconhecer as formas de uso do solo na produção de gêneros agrícolas (M);
- Reconhecer características dos diferentes setores da economia, impressos na paisagem (M);
- Identificar diferentes atividades profissionais e relacioná-las aos setores econômicos (M);
- Identificar as funções dos transportes e dos meios de informação na integração entre a cidade e o campo (M);
- Reconhecer os diferentes meios de comunicação e suas atividades (M);
- Perceber a evolução das técnicas de comunicação e as transformações no espaço (M);
- Descrever a importância dos meios de comunicação, tecnologias e transportes para o desenvolvimento econômico da Cidade, Estado e do País (DC);
- Localizar em uma dada paisagem indicativa da integração entre a realidade apresentada e outras regiões por meio dos meios de transporte e comunicação (M).
Professor trabalhe os conceitos de agricultura, indústria e comercio. Aproveite para falar sobre as formas do uso do solo para agricultura. Após a discussão, elabore com as crianças um mural ilustrativo evidenciando as atividades mencionadas para ser exposto na sala. Em outro momento, elabore com os estudantes um mapa identificando as atividades (agrícola, industrial e comercial) do município na intenção de ampliar o mural da sala.
- Elaborar uma entrevista com os estudantes para questionar com as pessoas que trabalham no comércio, na agricultura e na indústria;
- Pesquisar e apresentar cinco atividades econômicas existentes no município, caracterizando cada uma delas para ser apresentada em sala de aula;
Como os meios de comunicação são importantes para conectar pessoas e lugares. Solicite aos estudantes para investigar os meios de comunicação no município. Siga o seguinte roteiro:
Para rádio:
- O município possui estações de rádio própria? Quais? São de AM ou FM? Qual a programação dessas rádios? Há alguma rádio comunitária? Quantas pessoas trabalham no setor?
Para televisão:
O município possui alguma emissora de televisão? Qual? A programação é desperta interesse no público?
Para jornal:
O município possui jornal próprio? Qual? Que outros jornais são distribuídos? Como são entregues nas bancas e/ou nas casas dos assinantes? A sua escola possui jornal? Como se chama?
Para Revista:
Há revistas feitas no município? Quais? De que assunto trata essas publicações? Que outras revistas circulam no município?
Para computador:
O computador é um equipamento comum no município? Em que estabelecimento é mais usado? A internet está disponível no município? Em que estabelecimento é mais usada? A rede telefônica garante uma boa conexão?
Aproveite para discutir numa roda de conversa as mudanças ocorridas nos materiais citados.
(Atividade adaptada da coleção Aprendendo Sempre de Geografia da editora ática, 4º ano, pag124).

 
Fluxo de Aula / Ciências   
4º Ano / III Unidade

Gêneros textuais sugeridos: Pesquisa, cartaz, roteiro para entrevista, cardápio, rótulos de embalagens, diário de bordo e história.

EIXO: SER HUMANO E SAÚDE
CONTEÚDOS
HABILIDADES
SUGESTÕES DE ATIVIDADES
  • Transformação do corpo.






  • Sistema reprodutor (sistema genital).









  • Hábitos de higiene.





  • Alimentos e nutrientes.
  • Hábitos alimentares e saúde.
















  • Digestão e sistema digestivo.




















  • Conservação de alimentos.

- Identificar e compreender as diferentes fases do desenvolvimento do homem e da mulher (DC);
- Identificar as fases e transformações do corpo da criança ao idoso (OTM);
- Conhecer os direitos da criança, do adolescente e do idoso (OTM);

- Identificar órgãos e funções do sistema reprodutor masculino e feminino (OTM);
- Representar (localizar, nomear e descrever) órgãos e sistemas do corpo humano, identificando hábitos de manutenção da saúde, funções, disfunções ou doenças a eles relacionadas (DC);
- Citar as principais características de hereditariedade expressadas na família (OTM);

- Identificar hábitos saudáveis de higiene (corporal e ambiental) utilizada no contexto familiar (OTM);
- Citar a importância da higiene para o corpo e o meio ambiente (OTM);

- Identificar os diferentes tipos de alimentos e nutrientes (M);

- Reconhecer comidas típicas (M);

- Analisar a qualidade de uma dieta alimentar (M);

- Interpretar uma pirâmide alimentar (M);

- Identificar uma pirâmide alimentar (M);

- Reconhecer hábitos alimentares que favoreçam a saúde (M);

- Identificar os componentes do sistema digestório e suas respectivas funções (M);

- Relacionar e diferenciar sistema digestório e excretor (M);

- Relacionar sistema digestório com o fornecimento de nutrientes ao organismo através do sangue (M);

- Reconhecer as diferenças entre a primeira dentição e a definitiva (M);

- Comparar a dentição em diferentes grupos animais (herbívoros e carnívoros) (M);

- Identificar cuidados rotineiros com os alimentares para evitar contaminação (M);

- Identificar as principais técnicas de conservação de alimentos (M).
- Pesquisar e levar à sala de aula figuras que ilustrem cada mês de gestação dos seres humanos. Permita que as crianças observem as imagens e façam perguntas. Ressalte que o ser humano pertence ao grupo dos animais e que difere pela capacidade de raciocinar;

- Elaborar, com os estudantes, um painel de figuras ou retratos de pessoas nas diferentes fases da vida (infância, adolescência e maturidade). Essa sequência deve representar todo o ciclo de vida do ser humano (bebê, criança, adolescente, adulto e idoso).

*Alguns estudantes devem estar percebendo mudanças características da puberdade. Em um ano ou dois, essas modificações deverão ocorrer em todos eles e é importante que a curiosidade natural sobre o assunto seja discutida e esclarecida na escola. Algumas meninas já podem ter menstruado ou apresentar desenvolvimento das mamas. Os meninos, em geral, começam a apresentar características da puberdade após os 10 anos de idade.
São comuns os comentários sussurrados ou em voz baixa quando o assunto é sexualidade ou mudanças físicas da puberdade. Sugira um trabalho em duplas com crianças do mesmo sexo. Faça alguns trios, se necessário, para que nenhuma criança fique inibida tendo de trabalhar em grupos mistos, Ao trabalhar em duplas ou trios, os estudantes terão a oportunidade de fazer comentários para o(s) colega(s) e trocar confidências com eles (as);

- Apresentar imagens de meninos e meninas na puberdade. Ao explorar as características da puberdade que aparecem nas ilustrações analisando-as. Aproveite o momento para falar sobre a importância do amadurecimento sexual e a função biológica da reprodução para os seres vivos em geral e para os humanos em particular. É importante ressaltar que os seres humanos, diferentemente da maioria dos animais, desenvolvem relações afetivas com seus parceiros que independem da época da reprodução e mantêm-se juntos mesmo não tendo filhos ou quando não vão mais ter filhos.

*Informe aos estudantes que, segundo a nova terminologia, o termo sistema reprodutor foi atualizado para sistema genital e vulva, para feminino.

- Apresentar cartazes com imagens do sistema genital masculino e feminino, em seguida, solicite que eles observem as imagens e destaquem as diferenças entre o sistema genital masculino e o feminino;
- Propor aos estudantes que façam uma pesquisa em livros de arte e na internet sobre obras de arte que retratam o corpo humano (masculino e feminino), com pinturas, esculturas etc.. Peça que reproduzam as imagens dessas obras em cartolinas, acompanhadas de legenda com título e autor. Ao final, organize uma exposição dos trabalhos.

*O ser vivo envelhece e morre, mas antes disso ele se reproduz. Os filhotes são semelhantes aos pais, esse fenômeno chama-se hereditariedade. Esta é adquirida através de gerações. Exemplo: a cor (do cabelo, olhos, pele), o formato do rosto etc..

- Solicitar aos estudantes que façam uma pesquisa com os familiares para saberem quais as características genéticas eles herdaram e de quem foi. Elabore um gráfico de barras para ilustrar as características que apareceram com mais frequência entre os estudantes;
- Solicitar aos estudantes que identifiquem os hábitos de higiene, relacionando-os à boa saúde;
- Dividir a classe em grupo. Peça a um grupo de cada vez que faça uma mímica mostrando um hábito de higiene física, mental ou social para que os outros grupos adivinhem;
- Propor às crianças que recortem, de revistas e jornais, figuras de alimentos que elas costumam comer em casa e levem para a sala de aula. Peça-lhes que, em grupo, confeccionem um cartaz com figuras, separando os alimentos de acordo com sua origem (animal, vegetal ou mineral);
- Perguntar ás crianças quais os cuidados que devemos ter com o corpo para mantê-lo saudável nas diferentes fases da vida;
- Solicitar uma visita de um profissional da área de saúde (médico, enfermeiro, nutricionista etc.) à escola para as crianças o entrevistem. Antes, proponha que elas elaborem, coletivamente, um roteiro com algumas perguntas, tais como: Quais são as funções dos alimentos em nosso organismo? Quais são os cuidados de higiene que devemos ter com eles? Quais são os problemas que o consumo excessivo de doces, chicletes e refrigerantes pode causar?
- Questionar aos estudantes se eles tomam os cuidados mencionados em relação a sua alimentação.

*Explique que os alimentos são classificados em construtores, energéticos ou reguladores conforme a quantidade de substâncias características de cada um desses grupos que eles possuem. No entanto, a maioria dos alimentos possui, ao mesmo tempo, vitaminas, proteínas, açúcares ou carboidratos ou lipídios e sais minerais. O leite é um alimento muito nutritivo, pois contém vitaminas, gorduras, açúcares, proteínas e sais minerais.

- Realizar, com os estudantes, um levantamento sobre os alimentos que estão consumindo na merenda escolar. Avalie com eles esse cardápio para identificar quais são os elementos positivos e negativos. Proponha às crianças que sugiram alterações no cardápio para que ele fique mais balanceado, com alimentos energéticos, reguladores e construtores. Se possível, sugira às merendeiras e/ou ao gestor escolar que o cardápio elaborado pelos estudantes seja testado.

*Os alimentos sofrem modificações quando entram na boca, as transformações que sofrem enquanto passam pelos órgãos do sistema digestório do nosso corpo e como os nutrientes úteis passam para o sangue e chegam ao corpo todo.
*Na boca o alimento é cortado, triturado e dividido em partes cada vez menores. Esse trabalho é desempenhado principalmente pelos dentes, auxiliado pela saliva, que umedece o alimento, e pela língua, que ajuda a misturá-lo formando o bolo alimentar. Essa etapa é muito importante porque as enzimas, substâncias químicas que realizam a digestão, precisam entrar em contato com as moléculas que formam os alimentos para poder transformá-las quimicamente. Assim, quanto mais triturada estiver a comida, maior será a área de contato entre o alimento e as enzimas digestivas.
*No estômago, o alimento é submetido a vários movimentos executados pelos músculos estomacais, que misturam o alimento aos sucos digestivos. Esses movimentos produzem sons, os “roncos do estômago” – barulhos que podem ser ouvidos ao encostamos a orelha no abdômen de uma pessoa.

- Apresentar imagens de crianças degustando (maçã) e tomando água. Solicite que observem atentamente as imagens. Pergunte quais os nutrientes encontramos na maçã. Solicite que eles desenhem o caminho que a maçã e a água percorrem no corpo;
- Apresentar a imagem do esquema simplificado do sistema digestivo e das etapas da digestão (mastigação, ação de substâncias digestivas, absorção de nutrientes e eliminação das fezes;
- Conversar sobre os hábitos de higiene e comportamento durante as refeições, como lavar bem as mãos antes de ir para a mesa, manter a boca fechada durante a mastigação, usar o fio ou fita dental e escovar os dentes após as refeições. Fale também sobre a importância de ingerirmos água durante o dia, para o bom funcionamento do organismo.

*O formato dos dentes e maxilares de um animal pode informar que tipo de alimento ele come. Mandíbulas longas e finas, com dentes pequenos apontados para frente, são boas para mordiscar. São mandíbulas adequadas para versões diminutas de comida, como grãos ou insetos. Este tipo de desenho não tem o mesmo poder de esmagar alimentos das mandíbulas curtas, largas e com dentes maiores atrás, adaptadas para triturar vegetais grossos ou quebrar ossos e cartilagens. Muitos animais têm mandíbulas combinadas, com dentes afiados na frente e chatos atrás, para cortar e triturar. Herbívoros (vacas, cavalos, camelos, carneiros, cabritos, veados etc.) Comem uma dieta de vegetais. O osso do maxilar inferior é profundo atrás, deixando uma área ampla para ancorar o músculo da mastigação. Juntas especiais nos maxilares permitem os movimentos laterais das mandíbulas. Os animais com mandíbulas e os dentes adaptados para comer só carne são os carnívoros, representados pelos leões, tigres, gatos e cachorros. A maioria deles tem maxilar grosso e pesado. Os músculos temporais que cerram as mandíbulas permitem uma mordida poderosa.
*Os dentes desempenham um papel fundamental na mastigação dos alimentos. Os primeiros dentes são chamados de dentes de leite. Até os 6 anos, aproximadamente, nasce um total de 20 dentes de leite na boca de uma criança. Por volta dos 6 anos de idade, os dentes de leite começam a cair e dão lugar a dentes maiores e mais resistentes que não serão trocados, por isso são chamados dentes permanentes. Em um adulto, a dentição permanente completa tem 32 dentes, 16 na parte superior e 16 na parte inferior.

- Apresentar imagens da dentição em diferentes e de grupos animais (herbívoros e carnívoros), em seguida, solicite que os estudantes façam a correspondência;
- Solicitar que os estudantes observem seus dentes em um espelho, desenhe-os e anote próximo de cada um se ele é um dente de leite ou permanente. Se algum dente de leite caiu e o permanente ainda não nasceu, deixe o espaço vazio no desenho e indique-o por uma seta: dente que caiu. No final responda quantos dentes de leite e permanentes eles tem. Solicite que eles elaborem situações problemas;
- Questionar a classe sobre o que acontece com o nosso organismo quando ingerimos um alimento saudável e um mal conservado; o que sentimos quando temos fome ou quando ingerimos mais do que o necessário;
- Marcar com antecedência uma visita a um supermercado, para observação e armazenamento de alimentos, bem como os vários tipos de embalagens. Oriente os estudantes para selecionar embalagens de produtos descartáveis utilizados em casa. Identificar nas embalagens a data de fabricação, o prazo de validade e o prazo de consumo. Comparar e questionar o porquê de alguns produtos terem prazo de validade maior do que outros;
- Conversar sobre o serviço de defesa do consumidor. Caso o alimento comprado esteja em mau estado, apesar de estar dentro do prazo de validade, deve-se recorrer ao órgão e exigir a troca da mercadoria. Alguns estabelecimentos desligam os refrigeradores, no período da noite, para diminuir o consumo de energia. É um ato ilegal e deve ser denunciado;
- Trazer uma fruta fresca e deixe em lugar arejado por alguns dias. Incentivar os estudantes a perceberem o processo de decomposição por meio da observação acompanhada de registro diário;

- Informar que é possível fazer compota ou geleia de frutas antes de elas estragarem. Com a adição de açúcar e com a fervura, a fruta poderá ser consumida por um período maior. Exemplo: doce de banana.

*Na sociedade atual, as pessoas utilizam em sua dieta alimentos congelados, enlatados e desidratados que podem também ser cozidos, parcialmente cozidos ou pré-cozidos. Esses alimentos passam por vários processos e durante o seu preparo podem ser contaminados por microrganismos, resultando em posterior deterioração. Vasilhas estufadas, por exemplo: é um forte indício de que o alimento está contaminado. Lembrar ainda que é preciso lavar as embalagens antes de consumir o alimento.

- Lembrar aos estudantes que os alimentos se compõem de carboidratos, lipídios e proteínas e esses nutrientes também servem de alimento e substrato nutritivo para inúmeros tipos de microrganismos; daí a necessidade de se utilizarem métodos de conservação;
- Demonstrar como o processo da retirada do ar ao redor do alimento, utilizando uma bombinha (vendida em supermercado), para preparar o armazenamento de alimentos caseiros congelados. Colocar, por exemplo, um pedaço de pão, um biscoito ou uma fruta em um saquinho utilizado para congelar alimentos, inserir o canudo da bomba dentro do saquinho e pressionar a válvula para que o ar seja retirado. O saquinho ficará “grudado” no alimento e deverá ser bem fechado para que o ar não entre na embalagem.

* Tanto o prazo de validade como o prazo de consumo, devem estar nas embalagens dos alimentos. O prazo de validade é o que indica até que data o alimento está em boas condições de ser aberto e consumido. O prazo de consumo é o que indica, após aberto, até quantos dias o alimento poderá ser consumido.
Como as crianças, possivelmente, encontrarão dificuldade de diferenciar o prazo de validade do prazo de consumo, peça que elas relatem histórias usando o “prazo de validade” e “prazo de consumo”, possibilitando condições de um melhor entendimento.  
- Solicitar que os estudantes produzam (em grupo ou individualmente) textos (gênero história) sobre o “prazo de validade” e “prazo de consumo”.                   




Fluxo de Aula / História
4º Ano / III Unidade

 

EIXO: História das organizações populares (DC).
CONTEÚDOS
HABILIDADES
SUGESTÕES DE ATIVIDADES
·                      Comunidades indígenas em Pernambuco

·                      Momentos da história brasileira em que ocorreram deslocamentos populacionais: chegada dos europeus no Brasil nos séculos XVI e XVII, a vinda dos africanos ao Brasil na situação de escravos, a imigração para o café e para a indústria nos séculos XIX e XX, períodos de seca no nordeste brasileiro.
























- Conhecer as comunidades indígenas do nosso estado e seu modo de viver (OTM);

- Identificar os grupos indígenas em Pernambuco na atualidade, seus problemas enfrentados e as possíveis soluções (OTM);
- Conhecer alguns momentos da história brasileira em que ocorreram deslocamentos populacionais (M);
- Reconhecer as diversas formas de resistência, utilizadas pelos africanos e indígenas (DC);
- Questionar e identificar os motivos dos deslocamentos populacionais e suas diferenças em vários contextos (M);

- Iniciar o conteúdo fazendo um levantamento dos conhecimentos prévios do grupo e ao mesmo tempo, instigá-los a formular suas hipóteses;
- Apresentar a turma diferentes fontes de informação (fotos, pinturas, tabelas, mapas, etc.) e propor atividades de pesquisa que vão estimulá-los a verificar diferenças e semelhanças, permanências e mudanças na história de grupos indígenas de diferentes tempos e lugares dentro do estado de Pernambuco;
- Por meio de conversa dirigida, incentivar os estudantes a conhecer e respeitar o modo de vida dos diferentes grupos raciais que vivem em nosso estado, reconhecendo as características destes povos: propriedade / moradia / utilização da natureza / instrumentos e horas de trabalho / aquisição de conhecimentos / cultura, etc.
- Organizar informações estudadas, em linhas do tempo, mapas, etc.
Obs. Retomar orientações e material da formação sobre cultura afrodescendente e indígena (2011).


   























































































Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário